Carnaval em Arraial

11:02:00


Em 2006 eu e meu marido passamos o carnaval em Arraial D’Ajuda com alguns amigos: 5 casais e 1 amiga solteira da silva. Saímos de casa na sexta feira às 4hs da manhã com destino a Arraial. Ficamos “acampados” em uma área com um banheiro e um quarto, em um terreno muito bem localizado, que pertence a tia do meu marido. O problema é que essa “área de camping” não tinha estrutura física para nos receber. Por isso fomos preparados com colchonete, travesseiro, edredon, roupa de cama e todas as parafernalhas de que precisávamos.
Como esse terreno fica muito próximo a um mangue, éramos surpreendidos com caranguejos para tudo quanto é lado: Caranguejo na porta da entrada do quarto, caranguejo no ralo do banheiro... E o medo de um caranguejo entrar pelo vaso? Teve gente que ficou os quatro dias do carnaval ser ir ao banheiro! Foi lá que surgiu a expressão “matar um gato”, ou seja, o mesmo que “passar um fax” ou “vou ao trono”. Curtimos praia de dia e, na nossa primeira noite em Arraial foi um espetáculo a parte. Estávamos “em casa” nos arrumando enquanto os rapazes foram até a rua comprar gelo. Aquela velha história de “vou comprar um cigarro e já volto”. E vocês sabem como que é mulher quando se junta para se arrumar... te te te e to to to, conversa vai, conversa vem... uma tagarelada só! Quando nos demos conta “cadê nossos maridos?” “Ah não, vamos pra rua sem eles!”. Quando entramos na van, avistamos eles chegando em casa. “E agora, descer da van ou curtir Arraial sozinhas?” Demos um “perdido” e seguimos para o carnaval de rua, com direito a marchinha “ô abre alas que eu quero passar”. E pula daqui e pula dali, começou a chover. Simbora para o Beco das Cores! A amiga solteira quem se deu bem nessa noite, pois todo carinha que chegava “empurrávamos” pra cima dela! Saindo do Beco das Cores fomos parar em uma boate. Começamos a ver umas cenas esquisitas, homem abraçando homem, mulheres de mãos dadas... xiiiii... como assim? “Isso é uma boate gay!” “Corre meninas, vamos sair logo daqui...” E kkkkkkkkkkk, quanto ri! Nessa noite apronta(RAM): - Fizer(RAM) xixi na calçada “Se vc estiver de saia, é só puxar a calcinha de lado, ué!” - Roubar(RAM) um fardo (com 12 garrafas) de água mineral “É que estava dando sopa no muro próximo ao carrinho de lanche” - Fizer(RAM) guerrinha/banho com essa mesma água - Rouba(RAM) as máscaras de decoração do bar Quando nos demos por vencidas pegamos uma van e descemos para o porto com a intenção de pegarmos a balsa para Porto Seguro ao som de bom Xibom Xibom bombom. Voltamos pra casa “alegres da vida”. E os rapazes? Dormindo... Me lembro que uma dessas amigas tropeçou no próprio marido. E me lembro também que o celular tocou (na noite anterior coloquei o celular para despertar para podemos viajar). E foi assim que eles descobriram a hora que chegamos. Tentamos completar “os cucos do relógio” com mais 7 badalas, mas nosso estado físico não permitia. No outro dia a confusão estava tomada: D.R. o dia todo entre os casais. All together!!! E depois de muito argumetar (ter amiga advogada é bom por isso, pois elas defendem a causa até o fim) fizemos as pazes! Na noite posterior fomos para o Parracho: Maridos e esposas (como manda o figurino) ao som do Naerê (cover do Chiclete). Terminamos a noite/dia às 9:00hs da manhã no pronto socorro, pois a amiga solteira bebeu além da conta. Tenho fotos desse episódio, mas se postá-las aqui posso ser processada! Carnaval em Arraial? Eu recomendo!

Você poderá gostar também de

0 comentários

Postagens Populares

Like us on Facebook

Flickr Images