Seria trágico se não fosse cômico

21:45:00



Foto meramente ilustrativa. Esses policiais são de NYC.


Eu não ia contar essa historia por aqui. Não mesmo!

Mas o passar dos anos me deixou mais confiante de que não terei problemas com a renovação do Visto americano (ou terei?).

O ano foi de 2014, exatos 2 anos atrás.

Eu havia recebido uma carta do Detran dizendo que minha CNH passaria pelo processo de reciclagem (devido as Danielisses que havia cometido).

Entrei em contato com meu advogado afim de tentar alguma manobra (dentro da lei, lógico), onde eu pudesse nao ter que passar pela reciclagem. Acabei ganhando apenas um pouco mais de tempo.

Nesse período saí com uns amigos, troquei de bolsa e achei que havia perdido minha carteira. Entrei em contato com o Detran para pedir uma segunda via da CNH.

Só que essa segunda via ficou retida, pois eles nao aceitaram minhas tentativas de manobras. Resumindo, precisava sim passar por todo o processo de reciclagem e foi o que eu fiz.

Porém nesse prazo de 60 dias para eu conseguir uma nova CNH surgiu uma viagem pela empresa, onde eu precisaria dirigir pelas estradas de 3 estados americanos. E eu sabia que nao poderia dirigir nos EUA sem minha CNH brasileira.

Acontece que eu acabei encontrando a tal carteira que eu achava que havia perdido. Eita que esse assunto tá ficando complicado né... Entao... só que essa tal carteira já não valia de nada. Não tinha validade nenhuma aqui no Brasil, pois como eu disse, já havia tirado a segunda via (com nova numeração).

Mas mesmo assim viajei com essa CNH pois era o unico documento que eu tinha e que poderia passar por despercebido caso um policial americano me parasse (já que no documento a validade estava em dia). "Ah. mas será possivel. Nunca fui parada nas estradas do tio Sam. Não vai ser agora!"

Lá fui eu com a tal carteira que não valia de nada.

Dirigi por toda a Geórgia, subindo pela Cartolina do Sul em direção a Carolina do  Norte. Dei uma Danielada e pasmem! Fui parada pela polícia por excesso de velocidade.

Como todo mundo diz: "A polícia americana brota do chão, do nada." Olhei pelo retrovisor e tinha um carro da polícia na minha cola. "Isso é comigo? Preciso parar?". Confesso que fiquei com duvida. Porém vi a insistência do veículo com sirene ligada e tudo que tem direito. Encostei meu veículo no acostamento. A viatura atras de mim parou e dali desceram dois policiais, indo um pra cada lado do meu carro e com as mãos na cintura (aonde constuma ficar as armas). Gelei, suei, meu estômago embrulhou!

Eles pediram os documentos do veículo e os MEUS. "Fudeu, fudeu, tô fudida".

Eu e meu inglês péssimo tentava balbuciar alguma coisa. Sorte ter Karina por perto!

Eles pegaram meus documentos e voltaram para a viatura para averiguar a veracidade dos tais. "Fudeu, fudeu, tô fundida".

Voltaram dizendo que eu não poderia usar aquela carteira. "Fudeu, fudeu, tô fundida. Descobriram que minha CNH é inválida."

Na verdade eles queriam dizer que eu deveria usar uma CNH internacional. Dai Karina com a maior paciência do mundo, foi explicar que, quando a gente aluga um veículo naquele país, podemos dirigir com nossa carteira brasileira pelo período da viagem e bla bla bla.

Então eles voltaram pra viatura pra saber se o que Karina havia dito tinha fundamento.

Voltaram me entregando meu documento. Me liberaram e disseram que eu não poderia correr naquela highway. Fiz que entendi tudo e entrei no carro.

Mas cadê que eu conseguia dirigir tamanha a tremedeira das pernas?

Karina pegou a direção e seguimos nosso destino.

E eu que pensava que americano era capaz de descobrir até o que a gente comeu no almoço, me surpreendi em saber que, em se tratando do "jeitinho brasileiro" eles não sabem de nada mesmo! 



Você poderá gostar também de

0 comentários

Obrigado pelo seu comentário!

Postagens Populares

Like us on Facebook

Flickr Images